quarta-feira, 17 de maio de 2017















                                          Que digo? O futuro não tem segredos para mim. Prometeu sou, sou eu o Zé Promessa. O futuro que me foi revelado antes não se fez e hoje amarguro o dó de não ter sido. Sinto. Hei de confessar-me, perante o mundo. Dizer o que fiz, o que deixei de fazer. Pedir perdão pelo bem que poderia ter feito e não fiz, por covardia, timidez ou o diabo que o seja. Aqui e agora. Acum, dizem os romenos. Agora, mais do que nunca, para que se não perca a linha da história, para que não digam outros, o que não fiz ou que inventem histórias como fizeram com Lampião, transformado em bandido pela história oficial.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário